História

  •  

    Fundação

    30 de agosto de 1911

    Conquista foi fundada por Domingos Vilela de Andrade, em 30 de agosto de 1911; porém, há um seleto grupo de pesquisadores historiadores que atribui tal feito ao Cel. Antônio Alves da Silva, grande benemérito da cidade.

  •  

    Criação do Município (Fundação)

    30 de agosto de 1911

    Distrito criado por Lei Municipal nº 7, de 23 de novembro de 1892 e por Lei Municipal nº 88, de 10 de setembro de 1901; Instalado em maio de 1906.

    Vila criada por Lei Estadual nº 556, de 30 de agosto de 1911. Desmembrada do Município de Sacramento.

    Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Conquista se compõe de 2 Distritos: Conquista e S. Francisco da Ponte Alta.

    A vila de Conquista foi instalada em 1 de junho de 1912.

    Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920,o Município de Conquista se compõe de 2 Distritos: Conquista e Jubaí (antigo S. Francisco da Ponte Alta).

    Por Lei Estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923, o Município de Conquista passou a abranger o novo Distrito de Guaxima, criado por esta lei com território desmembrado do Distrito de Conquista, do Município de Conquista.

    Pela dita Lei 843, o Município de Conquista ficou composto de 3 Distritos: Conquista, Guaxima e Jubaí.

    Conquista foi elevada à categoria de cidade por Lei Estadual nº 893, de 10 de setembro do ano de 1925.

    Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Município de Conquista permanece com 3 Distritos.

    Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936, 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-Lei Estadual nº 88, de 30 de março de 1938, o Município de Conquista compreende um único termo judiciário da comarca de Conquista e se compõe dos mesmos Distritos citados na divisão de 1933.

    No quadro fixado pelo Decreto-Lei Estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938 para 1939-1943, o Município de Conquista é composto dos Distritos de Guaxima e Jubaí

    -e é termo único da comarca de Conquista.

    Em virtude do Decreto-Lei Estadual nº 1058, de 31 de dezembro de 1943, que fixou o quadro territorial para vigorar no qüinqüênio 1944-1948, o Município de Conquista ficou composto igualmente pelos seguintes distritos: Conquista, Guaxima e Jubaí - e constitui o único termo judiciário da comarca de Conquista.

    Permanece composto dos Distritos de Guaxima e Jubaí nos quadros fixados pelas Leis nº 336, de 27-XII -1948 e 1039, de 12-XII-1953, para vigorar, respectivamente, nos períodos 1949-53 e 1954-58.

    Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.

  •  

    Emancipação Política

    30 de agosto de 1911

    A cidade de Conquista, localizada no Triângulo Mineiro, nasceu com as expedições que no início do Século XIX vieram explorar a região. As terras que formam o município foram doadas ao português Manoel Bernardes Nazianzeno da Silveira. Elas passaram por vários donos e, em 1888, o Coronel Francisco Meireles do Carmo aqui se instalou, criando um armazém para fornecer mercadorias aos trabalhadores que construíam a estrada de ferro Mogiana.

    Em 1894, o Dr. Crispiniano Tavares baiano de Ilhéus, fez a planta do povoado, traçando e demarcando as ruas. Conquista tornou-se distrito de Sacramento em 1892, desmembrando-se do mesmo em 1911, consoante a divisão administrativa do Brasil.

    Em Minas Gerais, no sudeste do Brasil, encontramos uma cidade que, apesar de pequena, cerca de sete mil habitantes, é conhecida como “Um Cantinho da Itália em Minas”, por sua riqueza, beleza e qualidade de vida e ainda por ter siso adensada populacionalmente principalmente, por imigrantes italianos. Estamos falando de Conquista.

    Cidade com raízes na cultura européia (portuguesa e italiana) localizada no Triângulo Mineiro, onde se pode observar rios de águas limpas e encantar-se com o verde exuberante por toda a cidade. Ouvir o canto dos pássaros. Você pode observar ainda a beleza da arquitetura e o colorido dos jardins. Servir-se de comida farta e com qualidade.

    A herança dos imigrantes está presente na organização, na força do trabalho, no casario, na hospitalidade e na simpatia do povo.

  •  

    A Denominação

    Origem do nome da cidade de Conquista

    Existem três versões sobre a origem da denominação do nome da cidade de Conquista:

    A primeira, oriunda do fato de lhe ter sido dado o nome por Domingos Vilela de Andrade, coronel, fazendeiro, latifundiário, nascido em Monte Alegre, (MG). Procedente de Ribeirão Preto, SP, onde era grande produtor de café, Vilela adquiriu uma gleba de terras na margem direita do Rio Grande, onde construiu a sede da fazenda denominada, segundo alguns, de Fazenda Conquista.

    A segunda, pelo seu sucesso ao conquistar a sua independência de Sacramento; a meu ver a mais remota das três, pois o desmembramento de Sacramento se deu em 1911; o Distrito de Conquista, porém, já existia e foi criado, como pertencente ao termo de Sacramento, pela Lei Municipal nº. 07 de 23 de novembro de 1892, ratificada pela Lei nº. 88 de 10 de setembro de 1901. Portanto, o Distrito com o nome Conquista já existia dezenove anos antes que o mesmo fosse transformado em Município.

    A terceira, a meu juízo, é a mais lógica; segundo consta, o nome Conquista foi dado em homenagem ao sertanista e engenheiro Dr. Crispiniano Tavares, um baiano, que meticulosamente fez o traçado e projeto urbanístico da cidade com avenidas largas e retilíneas. Tal empreendimento se deu em razão do mesmo ter sido contratado pelos coronéis Domingos Vilela de Andrade e Antônio Alves da Silva, então, grandes proprietários de terras, sendo que, ao término dos trabalhos, doutor Crispiniano auferiu, além dos seus honorários, o direito de registrar na legenda do projeto urbanístico a denominação de Cidade como Conquista. Isto se deu logicamente em homenagem a cidade de Vitória da Conquista – BA, pois que, nessa época, existia no município recém criado uma leva muito grande de baianos oriundos daquela cidade os quais, fugindo da seca, vieram trabalhar nas lavouras de arroz e café, bem como na construção da estrada de ferro Mogiana. Supostamente, o grande fluxo de hóspedes flutuantes que vieram da Bahia facilitou a escolha, aceitação e principalmente a difusão do nome Conquista.